“Por isso faço …

Quote

“Por isso faço aqui uma declaração que, bem sei, não servirá para me tornar importante no mundo, mas também não tenho vontade alguma de sê-lo, e sempre ficarei mais grato àqueles cujo favor me permitira usufruir livremente meu lazer, do que àqueles que me oferecerem os mais honrosos empregos da terra.”

Translation

“So make a statement here that I know will not serve to become important in the world, but also do not have any desire to be so, and I will be forever grateful to those whose favor more allowed me to freely enjoy my leisure, than those I offer the most honorable land uses. “

Descartes in “Discurso sobre o método” 

“CARPE DIEM”

Rodeado por seres diferentes, estranhos até à minha forma de ser, olhares distantes focando o inútil  que os aprisiona de forma, natural, talvez, inerente ao próprio meio que os compõe e define, será que pertenço mesmo aqui?

Por vezes questiono o que será que o amanhã me reserva, mas, invocando a razão, contaminada pelas incoerências e pela obscuridade, concluo que o dia é demasiado fugaz para me perder em questões para as quais nunca obteria uma resposta, sendo a única saída  possível o espectral e mentalmente atingível, mas, fisicamente tão pouco exequível.

Translation 

Surrounded by different beings, strangers until my being, looks distant focusing useless that imprisons so natural, perhaps inherent in the medium itself that composes and defines, does it belong here?

Sometimes I question what will tomorrow I reserve but, citing the reason, contaminated by inconsistencies and the dark, I conclude that the day is too fleeting to lose myself in matters for which would never get an answer, and the only possible the attainable spectral and mentally, but physically as little feasible.”

“Demissão” de José Saramago / “Resignation” by José Saramago

José Saramago, 1922 – 2010

Um dos grandes escritores portugueses, Nobel da literatura, um hino à literatura portuguesa!

Este mundo não presta, venha outro.
Já por tempo de mais aqui andamos
A fingir de razões suficientes.
Sejamos cães do cão: sabemos tudo
De morder os mais fracos, se mandamos,
E de lamber as mãos, se dependentes. 

José Saramago, in “Os Poemas Possíveis”

Translation

One of the greatest Portuguese writers Nobel’s prize winner, a hymn to Portuguese literature!

This world sucks, come next.
Already by the time we walked over here
Pretending to sufficient reasons.
We are dogs dog: we know everything
Biting the weakest, if sent,
And lick the hands, if dependent.

José Saramago, in “Possible Poems”

Para si, qual é o Sentido da Vida? / For you, what is the meaning of life?

Mary Roberts Rinehart disse sobre o sentido da vida: “Um pouco de trabalho, um pouco de sono, um pouco de amor, e tudo acabou.”, Edmund Cooke afirmou: “Nunca vivemos, mas sempre temos a expectativa da vida.”, Colton: “A alma vive aqui como numa prisão e é liberta apenas pela morte.”, Shakespeare: “Viver é uma sombra ambulante”, R. Campbell: “Viver é um corredor empoeirado, fechado de ambos os lados.”, Rivarol: “Viver significa pensar sobre o passado, lamentar sobre o presente e tremer diante do futuro.”

Pense sobre isso.. 😉 

Translation

Mary Roberts Rinehart said about the meaning of life: “A little work, a little sleep, a little love and it all ended.” Edmund Cooke said: “We never live, but we always have the expectation of life.” Colton: “The soul lives here as a prison and is released only by death.” Shakespeare: “Living is a walking shadow”, R. Campbell: “Living is a dusty corridor, closed on both sides.” Rivarol: “To live is to think about the past, present, and grieve over the tremble of the future.”

Think about it .. 😉

Um pouco de Ciência: Impacto na Lua provoca maior explosão já registada / A Little Science: Impact on the Moon causes biggest explosion ever recorded

Trata-se de uma noticia avançada pelo site cienciahoje.pt Imagem

Desde há oito anos que cientistas da NASA monitorizam a Lua à procura de explosões provocadas pelo impacto de corpos celestes. Esses impactos são muito mais comuns do que se esperava, tendo já sido observados centenas deles. No passado dia 17 de Março registou-se a maior explosão da história do programa.

Bill Coke, astrónomo da NASA, explica que o objecto de grandes dimensões colidiu contra a superfície lunar no Mare Imbrium, provocando uma explosão com um brilho dez vezes superior a qualquer outra já registada.

De facto, a explosão foi tão brilhante que quem, na Terra, estivesse a olhar para a Lua poderia ter visto a explosão a olho nu. Durante um segundo, o lugar do impacto brilhou com a intensidade de uma estrela de magnitude 4.

Ron Suggs, analista do Centro de Vôos Espaciais Marshall, foi o primeiro a detectar o clarão, gravado num vídeo de forma automática por um dos telescópios do programa. O objecto que provocou a explosão não era muito grande. Teria apenas entre 30 e 40 centímetros e 40 quilogramas de peso. Embateu a uma velocidade extraordinária: 90 mil quilómetros por hora. Apesar do pequeno tamanho da pedra, a explosão foi equivalente a cinco toneladas de TNT.

O impacto fez parte de um acontecimento muito maior: “Durante a noite de 17 de Março”, recorda o cientista, “as câmaras da NASA e da Universidade Western Ontario detectaram um número pouco usual de de meteoroides dirigindo-se para a Terra. Todas essas bolas de fogo percorreram órbitas idênticas entre a Terra e a Cintura de Asteróides. O que significa que a Terra e a Lua foram apedrejadas ao mesmo tempo”.

“A minha hipótese é que ambos os eventos estão relacionados e que se trata de um encontro do sistema Terra-Lua com uma nuvem de escombros”, diz. Depois da colisão, os dados foram enviados para a equipa de controladores da missão Lunar Reconnaisance Orbiter, em órbita lunar desde 2009, que localizou uma cratera de 20 metros de diâmetro no lugar do impacto.

Translation

Since eight years ago that NASA scientists monitor the moon looking for explosions caused by the impact of celestial bodies. These impacts are much more common than expected, having already seen hundreds of them. In the past 17 March there was the biggest explosion in the history of the program.

Bill Coke, NASA astronomer explains that the large object crashed into the lunar surface in Mare Imbrium, causing an explosion with a glow ten times higher than any other already registered.

In fact, the explosion was so bright that anyone on earth was to look at the moon could have seen the explosion to the naked eye. For a second, the place of impact shone with the intensity of a star of magnitude 4.

Ron Suggs analyst Marshall Space Flight Center, was the first to detect the flash, in a video recorded automatically by one of the telescopes of the program. The object that caused the explosion was not very big. Would have only between 30 and 40 centimeters and 40 kilograms. Struck the extraordinary speed: 90 000 kilometers per hour. Despite the small size of the stone, the explosion was equivalent to five tons of TNT.

The impact was part of a much larger event: “During the night of March 17,” recalls the scientist, “the chambers of NASA and the University of Western Ontario detected an unusual number of the meteoroids heading for Earth. All these fireballs traveled identical orbits between Earth and the asteroid belt. This means that the Earth and Moon were stoned at the same time. ”

“My hypothesis is that both events are related and that it is a meeting of the Earth-Moon system with a cloud of debris,” he says. After the collision, the data were sent to the team mission controllers Lunar Reconnaisance Orbiter, lunar orbit since 2009, which located a crater 20 meters in diameter in place of the impact.